"A lei é a força colocada a serviço da sociedade para o benefício de todos"
Cesare Beccaria 

 

BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina

Fim do Exame de Ordem dos Advogados - Cezar Britto condena proposta do Senador Gilvam Borges (PMDB-AP)

Ao visitar hoje (03) a sede da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio de Janeiro, o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, condenou o projeto de lei apresentado pelo senador Gilvam Borges (PMDB-AP), de extinção da exigência do Exame de Ordem para o exercício da profissão de advogado. Na opinião de Britto, que esteve acompanhado na visita do vice-presidente nacional da OAB, Vladimir Rossi Lourenço, acabar com o Exame de Ordem “é o mesmo que dizer que venceu o lobby das empresas privadas de ensino superior, que só buscam o lucro a qualquer preço, sem qualquer preocupação com a qualidade do ensino jurídico”.

O presidente da Seccional da OAB do Rio de Janeiro, Wadih Damous também condenou o teor da proposta que visa à extinção do Exame de Ordem. Segundo ele, a OAB, quando institui e aplica o exame, não está exercendo um papel fiscalizador e, sim, lutando para assegurar a boa qualidade do futuro profissional e assegurar que os interesses da sociedade sejam bem defendidos por esses profissionais.

“A OAB não se limita a fiscalizar a atividade profissional, ela é muito mais do que isso. Ela é guardiã da ordem jurídica do Estado de Direito democrático e, como qualquer outra entidade, tem a obrigação e o dever de zelar pela dignidade dos seus representados. Isto é o que justifica o Exame de Ordem”, disse Damous.

do Direito do estado

Arquivado em: Advogados, OAB, Política, Políticos, Senado Federal, Senadores
Publicado em 3 de dezembro de 2008 às 12:12 por Luciano J.S.

7 Responses to “Fim do Exame de Ordem dos Advogados - Cezar Britto condena proposta do Senador Gilvam Borges (PMDB-AP)”

  1. Em SIDNEY ARRUDA comentou:

    Enfim, diante de tantas e tantas discussões, estamos em um momento do direito, que deve-se observar não só os acadêmicos do Direito, que saem de suas Universidades, com 45% de experiência amadora, mas também, estudar viabiliades de melhorar os profissionais veteranos da advocacia. Para tanto, essa responsabilidade, esta balança, deve ser medida para ambas as partes.

  2. Em PAULO CARDOSO comentou:

    A democracia, zela pela liberdade de opiniões, assim como pela igualdade de direitos, sem distinção de qualquer natureza. No tocante é o que respalda a nossa Constituição Republicana.

    Me causa preocupação e grande vergonha quando vejo um profissional do direito, que presumimos ter conhecimento jurídico e ética profissional, defender desesperadamente o “Exame da Ordem”…

    É sabido que este exame é constituido por um provimento e que nenhum provimento, pode sobrepor um mandamento Maior (CR/88), que analisando mais profundamente constitui-se cláusula pétrea, elemento umutável até mesmo por EC.

    Precisamos que o Presidente da República, assuma a sua responsabilidade no sentido de impedir a pemanência deste exame ilegal. Ademais, é hora do Congresso Nacional - Senado, Câmaras Federais e Estatuais, atuem eficazmente proibindo a aplicação deste exame.

    Há milhões de Bachareis, pais, filhos e pais de família, alunos que fizeram o FIES e que hoje não estão conseguindo pagar a mensalidade do Financiamento por estar impedido de trabalhar por determinação de um provimento que atualmente tem maior validade que a própria Constituição da República.

    A sociedade esta de olho, e não adianta, os defensores deste exame querer atribuir a má gestão educacional do País inteiro, aos Bacharéis em Direito.

    O OAB, tem que exigir, fiscalizar é durante a formação do acadêmico, acompanhando de perto a metodologia de ensino.

    Percebe-se que ela (OAB) não fiscaliza o que deveria, e ainda por cima, quer ganhar com as inscrições e cursinhos.

    É lamentável, ver o que vem acontecendo. Sociedade brasileira, as eleições estão aí, temos que saber quem são os políticos coniventes com este sistema capitalista, e boicotá-los.

    Grande abraço a todos…

  3. Em shirley comentou:

    é melhor se discutir a liberação da maconha não é mesmo ?

    enquanto milhares de bachareis estão na fila dos desempregados !

    desemprego com maconha acho que combina.

    se esta triste porque nao consegue trabalhar , porque nao tem a carteira da OAB…..fuma-se maconha pra ficar feliz.

    bando de hipocritassssssssssssssss

  4. Em ROUSSEAU SILVA comentou:

    Na verdade, o exame da OAB é mais uma manobra do capitalismo, cujo objetivo maior é arrecadar e promover cursinhos, onde membros da OAB lecionam e obtem vantegens com as taxas de pagamento de cursinhos virando assim mais uma “artimanha” para aurferir lucros. Passar no exmae, é somente “decorar” e pronto, pois a propria OAB não se preocupa jamais coma aqulidade do ensinio do curso.Porque, no curso de medicina, que trata de vidas, não se tem exame ? Sim,porque não têem interesse de ganhar dienheiro ás custas dos acadêmicos. Sou contra o exmae, porque não mede capacidade , tal como o vestibular.

  5. Em claudio leonardo batista comentou:

    Concordo plenamente, o maior interesse é o econômico.Cursei a faculdade, e me considero bom aluno, e estou com dificuldade para passar na prova, pois me preocupo em estudar materias mais complexas e ir além dos codigos.Triste foi constatar que os examinadores,se preocupam em fazer questões maldosas com pegadinhas e não formular questões que cobre conhecimento.

  6. Em Helio Cristovão de Carvalho comentou:

    Os primeiros exames, foram com pequeno n° de questões, e a oab ao perceber que os bachareis estavam sendo aprovados, foi aumentando a quantidade de questionamento e criando dificuldade.
    O exame é em sua 1ª fase praticamente transcrição da lei, sendo que adicionado nas repostas erradas, as famosas pegadinhas, estas confunde até a cabeça de grandes professores renomados, que lecionam em cursinhos preparatório, chegando a ter em gabaritos extra oficial fornecido pelos cursinhos, nº considerado de divergências quanto a afirmativa correta.
    Eu fiz o ultimo exame, e confesso quando estava por volta 35ª questão, ja sentia grande desgaste mental, pois o nº elevado de questões e na maoiria rebuscadas, faz seu celebro entra em confusão.
    Espero o presidente sancione logo a lei que da fim a este exame que não avalia nada e somente impede o acesso de quem passou cinco anos, se dedicando ao estudo do direito e ao final se torna vítima de um sistema bloqueador de direitos como este. tenho certesa que se os conselheiros e presidentes das seccionais e das sub-seções da oab, fizerem o exame mais de 50% ficaram reprovados.
    Por ultimo, porque os aprovados na primeira fase, quando reprovados na 2ª, são obrigados refazer o exame por completo, se o bacharel já passou pela 1ª fase não deveria ser obrigado a fazer denovo, isto é mais uma prova de cerceamento de direito.

  7. Em LUIZ CARLOS GARCIA comentou:

    Eu, a credito que tudo e bonito, porque quem defende de fazer prova e porque não fez prova. se hoje for obrigado todos que advogam no país for preciso fazer prova, veja só que sera poucos que irao estar na fila como nos que estamos tentando fazer o exame. melhor, quer dizer que quem não tem o numero de ordem não são competente???, entao quer dizer quem trabalha e não fez a ordem e bom de serviço?? PENSA BEM NISSO!!!
    DRCARLOS2007@HOTMAIL.COM

Deixe seu comentário

Arquivos

Comentários

Artigos Recentes

Leituras Recomendadas

Sites Recomendados

Oferta Imperdível!


Copyright © 2009 Lei & Ordem. All rights reserved.

Tech Blue designed by Hive Designs • Ported by Free WordPress Themes