"A lei é a força colocada a serviço da sociedade para o benefício de todos"
Cesare Beccaria 

 

BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina

Justiça baiana manda recolher livro de padre

Essa é uma questão que certamente provocará polêmica em todas as instâncias da sociedade. Embora conste como norma fundamental na Constituição Brasileira, aqui e ali, nos deparamos com limitações à liberdade de expressão. Vez em quando, livros e outras publicações têm a circulação suspensa por decisões judiciais.

Liberdade de expressão, existe mesmo?

Contra a censura. Sempre!

Antes que Cháves!

Por Maniela Martinez - Da Folha de São Paulo
Acusação é de ofensa contra “formas de espiritismo”

A Justiça da Bahia determinou o recolhimento, em Salvador, de todos os exemplares de um livro escrito pelo padre Jonas Abib, fundador da comunidade católica Canção Nova, ligada à Renovação Carismática, ala conservadora da igreja.

Para o Ministério Público baiano, que pediu o recolhimento do livro “Sim, Sim! Não, Não! Reflexões de Cura e Libertação”, da editora Canção Nova, o padre cometeu o crime de “prática e incitação de discriminação ou preconceito religioso”, previsto na lei 7.716, de 1989. Cabe recurso à Justiça.

De acordo com o promotor Almiro Sena, Abib faz no livro “afirmações inverídicas e preconceituosas à religião espírita e às religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé, além de flagrante incitação à destruição e ao desrespeito aos seus objetos de culto”.

A ação cita trechos do livro que, na avaliação da Promotoria, trazem ofensas ao espiritismo e às religiões afro-americanas. “O demônio, dizem muitos, “não é nada criativo”. (…) Ele, que no passado se escondia por trás dos ídolos, hoje se esconde nos rituais e nas práticas do espiritismo, da umbanda, do candomblé”, diz Abib na obra.

Arquivado em: Brasil, Censura, Direito Constitucional, Padrão
Publicado em 17 de maio de 2008 às 08:05 por José Mesquita

Termos: , , , ,

4 Responses to “Justiça baiana manda recolher livro de padre”

  1. Em PADRE CLAUDINEI TARGINO comentou:

    A JUSTIÇA COMETEU UM GRAVE ERRO POIS ELA EXISTE PARA APURAR E PUNIR OS FATOS EM CASO DE CRIME DE PRECONCEITO E DESCRIMINAÇÃO RACIAL E NÃO PARA SENSURAR.

    PADRE CLAUDINEI

  2. Em liberdade de expressão comentou:

    Já imaginaram se o raciocínio dos sábios censores fosse pro lado oposto, isto é, se resolvessem proibir também livros, jornais, revistas, sites que trazem “afirmações inverídicas e preconceituosas às religiões católica ou evangélica”?

    Teriam muito trabalho.

    carlos

  3. Em liberdade de expressão comentou:

    Já imaginaram se o raciocínio dos sábios censores fosse pro lado oposto, isto é, se resolvessem proibir também livros, jornais, revistas, sites que trazem “afirmações inverídicas e preconceituosas às religiões católica ou evangélica”?

    Teriam muito trabalho.

    carlos

  4. Em Elcio comentou:

    Porque atacar a religião alheia? Poucos sabem que para se entrar no Brasil passando pelos portos, a pessoa teria de ditar o credo a um padre. Do contrário, não entrava no país !! Agora, atacar a Doutrina espírita, os cultos afro-brasileiros ou qualquer outra crença…hoje existe o Poder Judiciário para corrigir tais abusos. O tempo do crê ou morre, da Inquisição, já pássou. Vamos nos respeitar e amar uns aos outros, construindo um mundo mais humano. Elcio

Deixe seu comentário

Arquivos

Comentários recentes

Artigos Recentes

Leituras Recomendadas

Sites Recomendados

Oferta Imperdível!


Copyright © 2008 Lei & Ordem. All rights reserved.

Tech Blue designed by Hive Designs • Ported by Free WordPress Themes