"A lei é a força colocada a serviço da sociedade para o benefício de todos"
Cesare Beccaria 

 

No Brasil, o crime compensa: CNJ aposenta juiz da máfia do caça-níqueis com salário integral

Quem se marginaliza perde o direito a qualquer honra!
Com tamanha demonstração de fraqueza e corporativismo como pode o judiciário brasileiro se impor. Assim, continua valendo, na opinião da população, que somente ladrão de galinha - ainda existem tão relés meliantes? - é que vai para a cadeia.

De nada adianta a sisudez de impolutos magistrados diante de uma vergonha moral dessa magnitude.
O Editor


Punidos, mas bem pagos

CNJ aposenta com salário integral magistrados acusados de ligação com máfia dos caça-níqueis.

Acusados de vender sentenças para a máfia dos caça-níqueis, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Medina e o ex-vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 2 Região José Eduardo Carreira Alvim receberam ontem a mais alta punição administrativa da magistratura: foram aposentados compulsoriamente.

No caso, com direito a salário integral, já que têm mais de 35 anos de contribuição. Medina receberá mensalmente R$ 25.386,97, enquanto Alvim se afasta com uma remuneração mensal de R$ 24.117,62. Esta foi a primeira vez que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), criado em 2005, julgou e condenou um ministro do STJ.

Em decisão unânime, os 15 conselheiros entenderam que os dois magistrados, processados no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção e prevaricação, desrespeitaram a Lei Orgânica da Magistratura, que determina a manutenção de “conduta irrepreensível na vida pública e particular”. Em 2007, ambos foram investigados pela operação Hurricane (Furação) da Polícia Federal.

Segundo o Ministério Público Federal, Medina e Alvim supostamente negociaram a liberação de 900 máquinas caça-níqueis, apreendidas pela PF em Niterói, em 2005. O ministro, segundo a denúncia do MPF, teria recebido R$ 1 milhão, por intermédio do irmão Virgílio Medina, para conceder liminar liberando o equipamento.

O principal indício que levou à punição de Medina foi o recebimento de um empréstimo de R$ 440 mil, concedido pelo irmão. Virgílio também foi preso na operação da Polícia Federal, depois de ter sido contratado pelos empresários de bingos para intermediar a liberação das máquinas apreendidas pela PF.

Já o desembargador Alvim aparece em interceptações telefônicas, autorizadas pela Justiça, conversando com os beneficiários de suas decisões. Para o MP, Alvim tinha uma “relação venal” com a quadrilha.

Roberto Maltchik/O Globo

Leia também:

  • STF instaura ação penal contra Paulo Medina, do STJ
    Paulo Medina, ministro afastado do STJ, passou de acusado a réu. O STF aceitou a denúncia feita contra Medina pelo Ministério Público. Com isso, abriu-se formalmente uma ação penal. Deu-se nesta quarta (26). Medina responderá...

  • Nietzche inspira sentença do juiz De Sanctis
    O filósofo alemão Nietzsche — Friedrich Wilhelm Nietzsche, * Weimar, Alemanha, 15 de Outubro de 1844 d.C - + Weimar, Alemanha, 25 de Agosto de 1900 d.C — serviu de inspiração para a sentença exarada pelo...

  • Inquérito contra Arruda vira ação penal
    O Superior Tribunal de Justiça decidiu autuar como ação penal a denúncia do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e pela subprocuradora-geral da República Raquel Dodge contra o governador do DF, José Roberto Arruda; o suplente...

  • Poder e o crime organizado
    Por Luciano Bandeira Pontes ¹ A criminalidade permeia a sociedade desde seus primórdios, a partir do momento em que o homem se organizou e passou a viver em coletividade. Seria necessário estabelecer regras de convivência...

  • Corrupção: Juiz que combateu a máfia italiana ‘ensina’ o caminho
    O Brasil vive um momento especial na economia. No ano passado, ultrapassou a Itália no ranking das maiores economias do mundo. Assumiu a sétima posição. Beneficiado pela ruína da Europa e pela sobrevalorização do Real,...

Arquivado em: Ações, Ações judiciais, Ações Penais, Brasil, CNJ, Código Penal, Códigos, Corrupção, Crime Organizado, Crimes, Da série "o tamanho do buraco", Direito, Direito Penal, Justiça, Legislação, Lei Orgânica da Magistratura, Ministério Público, Polícia Federal
Publicado em 6 de agosto de 2010 às 07:08 por José Mesquita

Termos: , , , , , , , , , , , , , ,

One Response to “No Brasil, o crime compensa: CNJ aposenta juiz da máfia do caça-níqueis com salário integral”

  1. Em theodoro ottomar bach comentou:

    Enquanto o crime compensar vamos afundando no lodo, alguem sério deve valorizar o cidadão de bem e parar de premiar quem comete coisas ilícitas, isso quando todos forem iguais perante a lei, hoje todos legislam em causa propria, o povo que se lixe, falta aqui um presidente estadista que coloque o povo acima de qualquer coisa

Deixe seu comentário

Comentários

Assuntos

Termos

Oferta Imperdível!


Leituras Recomendadas

Sites Recomendados

Copyright © 2012 Lei & Ordem. Direitos Reservados.

Tech Blue designed by Hive Designs • Ported by Free WordPress Themes