"A lei é a força colocada a serviço da sociedade para o benefício de todos"
Cesare Beccaria 

STF e o preenchimento de vagas

Que tal um lourinho para a Suécia?
Carlos Chagas/Tribuna da Imprensa

[ad#Retangulo - Anuncios - Esquerda]Merece ser recontada a história da briga entre o presidente Jânio Quadros e o governador Carlos Lacerda, em 1961. Eles começaram a se estranhar por conta da política externa independente. Quando Jânio nomeou um negro para embaixador do Brasil em Gana, Lacerda lembrou estar vaga nossa embaixada na Suécia, perguntando se iam mandar um lourinho…

O episódio se lembra porque neste ano de 2012 a presidente Dilma terá de indicar mais dois ministros para o Supremo Tribunal Federal. Aposentam-se, por completarem 70 anos, Cezar Peluso e Ayres de Brito.

A moda, na mais alta corte nacional de justiça, tem sido do preenchimento das vagas conforme critérios de gênero e de etnia.

De repente, descobriu-se que faltava uma mulher entre os doutos juristas, tendo sido nomeadas Ellen Gracie e Carmem Lúcia e agora Rosa Weber. Depois, faltava um negro, convocando-se Joaquim Barbosa. Estabeleceram-se cadeiras cativas, demonstrando que esses processos, uma vez iniciados, não têm fim.

O problema é que se a peculiar representatividade continuar incorporada à norma constitucional de alto saber jurídico e reputação ilibada, logo surgirá alguém no palácio do Planalto lembrando faltar no Supremo um jurista japonês, outro índio, um bispo e até um gay.

É preciso tomar cuidado com os exageros, que aliás tem raízes no passado. O presidente Floriano Peixoto nomeou um médico, João Goulart, dois comunistas, e os generais-presidentes, vários direitistas…

Arquivado em: Brasil, Política, STF
Publicado em 2 de janeiro de 2012 às 10:01 por José Mesquita

Termos: , , , , , , , , ,

Deixe seu comentário

Comentários

Termos

Leituras Recomendadas

Sites Recomendados

Copyright © 2017 Lei & Ordem. Direitos Reservados.

Tech Blue designed by Hive Designs • Ported by Free WordPress Themes